quelquer coisa

This Is the New Year

O tempo passou rápido e mais um “ano novo” está chegando.

Depois de um 2013 estranho e cheio de últimos momentos, eu só desejo que 2014 seja realmente um ano bom o máximo de tempo que ele conseguir. Espero fechar ciclos e começar novos, e isso vale para todas as áreas da vida, de amizades desgastadas e relacionamentos mal resolvidos a conclusão de curso e começo de novas experiências profissionais. Sair do lugar e dizer mais “sim”, porque minha vida está cheia de “não”. Que dê tudo certo o quanto puder.

Acho que serve como uma boa “lista de metas” para 2014: “25 coisas para fazer antes dos 25” (ainda mais porque já passei dos 25, hehe)

Feliz 2014!

Anúncios
Jubs

I’m not going to ever get over you.

Quase cinco meses se passaram e a sensação é de que você ainda está aqui, esta viajando, mas já volta e eu vou poder matar toda essa saudade que tá acumulada aqui no meu coração, mas quando lembro que você não vai mais voltar… Cada detalhe me faz lembrar você, tanta coisa que eu gostaria de te contar e eu sei que você tinha tantas mais histórias pra me contar, mesmo que repetido já não me importava mais. Parece que foi ontem. Parece que foi há muito tempo.

Passar por datas comemorativas sem você para comemorar junto foi difícil. Primeiro seu aniversário que é grudadinho com o meu, que por sinal eu não tive vontade nenhuma de comemorar porque a saudade me pegou de jeito naquela semana. O tempo passou e chegamos ao Natal e foi difícil esse primeiro Natal sem você. Tentei ser forte, mas as lágrimas buscaram meus olhos desesperadamente e eu só queria ficar sozinha pra ver se passava. Você que cortava o peito do Peru pra mim só porque eu corto tudo torto. Tive que comer o meu pedaço torto mesmo. Agora está chegando o ano novo e a saudade ainda está aqui e acho que ela nunca vai passar, mas espero que meu coração fique mais leve depois das “festas de fim de ano” porque tá sendo difícil não se lembrar de você a cada segundo sem que uma lágrima tente sair dos meus olhos.

Sei que você tá em paz e foi para um lugar melhor, mas isso não significa que aqui não tá difícil e triste sem você, mas como sei que o que você mais gostava era fazer as pessoas rirem, prometo buscar a leveza e deixar a saudade me tomar somente com sorrisos. Continue cuidado de mim aí do céu e nunca me deixe esquecer sua voz e sua gargalhada. A saudade será eterna mas a dor não precisa ser. Saudades vô.

Jubs · Nós poderíamos nos dar bem

A primeira vez que o vi…

Foi quando entrei na faculdade. Não lembro bem se logo nas primeiras semanas, mas com certeza foi no meu primeiro período, lá por novembro de 2006. Lembro-me de estar sentada em uma das mesas que havia no pátio do instituto. Havia sol e estava calor. Eu estava esperando umas amigas para ir para aula, talvez, e quando olhei para o lado eu o vi. Ele saiu do diretório, usava uma blusa branca e jeans, seus cabelos eram ondulados e desgrenhados, estavam levemente grandes. Cabelos castanhos e talvez uma tentativa de barba, não me lembro de bem da barba, só lembro-me de ficar encantada por aquele moço que eu achei que nunca mais veria.

quelquer coisa

Caminho.

Sinto o tempo passando por mim.

Em um mundo onde coisas acontecem, me sinto parada. Presa em algum lugar onde nada parece ajudar a me mover.

Deixar acontecer é difícil e planeja não sai do papel, nunca deixa de ser sonho.

Coisas que parecem que foram ontem foram cinco anos atrás.

Parece que vivo de passado quando não consigo ver esperança no futuro.

O “fazer acontecer” parece tão complicado e um complicado que parece que nunca se torna simples.

Planos, sonhos, metas… Tudo parece tão longe de se tornar real.

Sinto-me tão velha e cansada de pensar em tentar realmente,

Mas também me sinto tão nova para deixar o tempo e o cansaço me vencerem.

Ter vinte e cinco anos não é tão legal quanto eu imaginava. Estar no meio de um nada, perdida e sem ter o que esperar pela frente não é mesmo o lugar que eu achava que estaria com a idade que estou.

Motivação e animo são as palavras que preciso transformar em ações para fazer a vida seguir.

Preciso limpar a bagunça que chamo de vida para enxergar meu caminho, porque sei que ele está bem na minha frente, eu só preciso tirar as tralhas para poder vê-lo e seguir.